Publicada em 16/03/2017, às 11:26

Em alta no São Paulo, Cueva descarta rótulo de melhor do futebol brasileiro

Peruano diz viver o melhor momento da carreira, mira títulos pela equipe do Morumbi, enaltece o trabalho de Ceni, mas diz: "Tenho que trabalhar muito para ser o melhor"

Cueva marcou o gol do São Paulo no empate contra o ABC (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Seis gols e quatro assistências em 12 partidas na temporada. Cueva é cada mais decisivo e fundamental para o São Paulo que, após o empate por 1 a 1 com o ABC, no estádio Frasqueirão, em Natal, garantiu vaga na quarta fase da Copa do Brasil.

O camisa 10 só completará em junho a marca de um ano como jogador do São Paulo, mas é fato que ele já ganhou o status de ídolo com o torcedor tricolor. E o jogador garante: ainda tem muito a mostrar e a conquistar.

– Vivo hoje o melhor momento da minha carreira, mas isso não basta. Eu quero mais. Só vou chegar ao nível que eu quero quando conquistarmos títulos, e estamos no caminho certo para isso. Estou muito tranquilo no São Paulo. Somos uma família, todos dão sempre o máximo quando entram em campo e ainda temos um grande técnico, uma grande pessoa que nós dá toda a tranquilidade para trabalhar – afirmou o jogador.

Cueva mostra humildade. Ao ser questionado se é o melhor jogador do futebol brasileiro em atividade, o meio-campista prefere enaltecer o grupo do São Paulo.

Leia Mais
- Volante Matheus Jesus, da Ponte Preta, entra na mira do São Paulo
- Betis aceita proposta do São Paulo por Petros, e volante chega segunda
- Meia Jonatan Gómez assina contrato de três temporadas com o São Paulo
- Acorda, Cueva! Mais um concorrente chega para fazer sombra ao peruano
- Leia mais notícias sobre São Paulo em www.futnet.com.br/saopaulo

– Não sou o melhor jogador do futebol brasileiro. Tenho que trabalhar muito para ser o melhor. Mas o fundamental é sempre pensar na minha equipe e não em mim. O individual se sobressai quando o coletivo funciona. Agradeço a ajuda que recebo dos meus companheiros. Somos um bom grupo. Fico feliz com a confiança que recebo de todos – ressaltou.

O jogador tem se destacado mesmo sem estar 100% fisicamente, já que ainda se recupera de um edema na coxa esquerda. Contra o ABC, ele foi substituído no segundo tempo e, ainda no banco de reservas, colocou gelo no local. O tempo de recuperação até a partida de sábado, contra o Ituano, é curto, mas ele quer jogar. O atleta gostaria muito ter enfrentado o Palmeiras, mas Rogério Ceni vetou sua participação por conta do risco de lesão.

– Tenho um problema na coxa esquerda e, com o tempo, vou melhorar. Mas quero estar sempre em campo para ajudar o São Paulo, que vem sempre em primeiro lugar – disse.

Não à toa, o São Paulo recentemente renovou o contrato de Cueva – agora com vencimento em junho de 2021. O atleta ganhou aumento salarial e também viu sua multa rescisória subir para 40 milhões de euros (R$ 134,5 milhões).

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - São Paulo