Publicada em 15/03/2017, às 13:16

Grêmio diz que autorização ao Barça não muda suspeita de aliciamento

Joia da base, garoto Manu, de 10 anos, não voltou ao clube após treinos na Espanha

Manu posa com Suárez e Messi no vestiário (Foto: Arquivo Pessoal)

O Grêmio segue firme em seu propósito de denunciar o Barcelona na Fifa sob a acusação de aliciamento do menino Emanuel Ferreira, o Manu, de 10 anos. Segundo o diretor jurídico do clube gaúcho, Nestor Hein, a autorização concedida ao clube espanhol para que o menino participasse de um período de treinos na Espanha de 23 de janeiro a 10 de fevereiro deste ano não atenua a situação.

Apesar de o Barcelona afirmar que não tem interesse no menino, Hein afirma que não é uma "coincidência" que Manu tenha voltado ao Brasil e não se reapresentado no CT do Cristal, onde a escola do Grêmio realiza seu trabalho com as crianças. A data marcada para início dos trabalhos após as férias escolares era 7 de março. Nem o fato de o pai do garoto, José Raimundo Ferreira, ter pedido demissão do emprego de segurança no Grêmio e ter se mudado para Barcelona com o filho.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



– O menino recebeu um convite para ir à Espanha conhecer as dependências do Barcelona, com essa autorização de setores do clube que não o presidente, mas que não vem ao caso. Aí veio essa "coincidência" de que ele ia jogar e se mudar para Barcelona. Mandamos uma pessoa do Grêmio junto para demarcar que é um jogador que nós estamos investindo na formação dele. O Barcelona diz que não tem interesse, mas de qualquer forma é estranho que o menino, tendo ido à Espanha, visitado o Barcelona, agora vá morar em Barcelona. É uma evidência palmar que alguma promessa foi feita a ele ou ao pai dele para que ele abandonasse o Grêmio – concluiu Hein.

O pedido para que Manu fosse treinar no Barcelona partiu do ex-jogador (tetracampeão em 1994) e atualmente empresário Mazinho, pai de Rafinha e Thiago Alcântara. No entanto, o Barça garante que Manu treinou por lá somente durante o período combinado e nunca teve interesse em contratá-lo. O Grêmio, por sua vez, alega que uma manobra foi arquitetada junto à família do menino para levar Manu à Espanha, com auxílio de empresário e advogados brasileiros. Só ainda não sabe se com a participação direta ou não do gigante espanhol.

Segundo os diretores das categorias de base gremista, é comum que jogadores menores de idade façam intercâmbio em outros clubes e depois regressem. Recentemente, Leonardo, da categoria sub-14, fez treinos no Real Madrid. O mesmo aconteceu que o garoto Martin – que já saiu do clube – em visita o Benfica. Todos voltaram ao Grêmio normalmente.



Como os clubes não podem assinar contrato com menores de 16 anos, o Grêmio não pode reivindicar o retorno do menino. O clube não tem nenhum direito econômico sobre Manu e também não poderá reclamar qualquer ressarcimento pela eventual transferência ou investimento na formação. O Grêmio tem apenas vínculos federativos com o jogador. E é isso que sustentará sua reclamação junto à Fifa contra o Barcelona. Além disso, o clube também estuda acionar o Juizado da Infância e da Juventude para analisar a conduta do pai do menino.

Caso a acusação seja comprovada, o clube espanhol seria considerado reincidente. Entre 2014 e 2015, o Barcelona foi punido pela Fifa com o período de um ano sem poder fazer contratações e pagamento de multa de 450 mil francos suíços pela incorporação de jogadores comunitários menores de 16 anos e extracomunitários menores de 18, entre 2009 e 2013.

SOBRE A JOIA

O GloboEsporte.com apresentou Manu em 2015, após uma aparição para o grande público. Antes de um jogo do Gauchão, o garoto esteve no gramado da Arena, fez embaixadinhas e bateu bola com outras pessoas. Encantou e chamou atenção pela qualidade técnica.

Natural da cidade de Rosário, no Maranhão, o menino foi aprovado em 20 minutos de teste feito no Grêmio em 2014 e recebeu convite para ficar. Ele disse ter escolhido vestir as cores do clube, já que tinha opções como São Paulo e Atlético-MG.

Na entrevista, o meia falou sobre uma de suas inspirações, o meia Douglas, e também deixou claro, já naquele momento, que tinha o sonho de jogar na Europa. Internamente, os dirigentes da base gremista sempre teceram muitos elogios à qualidade técnica e de drible do garoto, canhoto e bem superior aos companheiros de categoria.

Fonte: GloboEsporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte