Publicada em 10/03/2017, às 11:13

Tensão inicial, "Pep" e cão em campo: a estreia do Grêmio na Libertadores

Tricolor supera o Zamora por 2 a 0 em Barinas e garante liderança do Grupo 8

Estádio La Carolina ofereceu pouca pressão ao Grêmio (Foto: Eduardo Moura)

O Grêmio iniciou a Libertadores da melhor maneira possível. Não sofreu gols, esteve relativamente bem durante todo o jogo, afora alguns instantes de pressão do Zamora, e é o líder do Grupo 8 da Libertadores da América. O time de Renato Portaluppi nem parecia estar na Libertadores. A partida teve um clima amistoso entre os jogadores e também no ambiente, sem grande pressão da torcida. E no final da partida, o clima da competição surgiu "faceiro", quando um cão invadiu o estádio La Carolina e arrancou sorrisos nas arquibancadas.

A partida também teve outras várias curiosidades. Teve Lucas Barrios, por exemplo, tietado na beira do campo, além de um Renato Portaluppi enfurecido mesmo com os 2 a 0 no placar. E, em se tratando de tensão, também houve uma discussão no início da partida, enquanto o sistema defensivo do Grêmio tentava se entender.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



>> Abaixo, o GloboEsporte.com detalha curiosidades da estreia na Libertadores:

CLIMA DE LIBERTADORES?

O Grêmio sentiu-se confortável em pleno La Carolina. Não foi apupado, mal foi vaiado ao entrar em campo para aquecer. A pista atlética diminuiu ainda mais o fator local.



A torcida local não conseguiu transformar o estádio numa panela de pressão. A "Burra Brava" estava atrás do gol, em um espaço sem cadeiras, mas não empolgou os setores onde os torcedores do Zamora estavam sentados tranquilamente. Na metade do segundo tempo, ainda houve uma onda de "hinchas" indo embora do estádio.

RITUAL DO "PEP VENEZUELANO"

O técnico Francesco Stifano é conhecido na Venezuela como "Pep Guardiola" do país. O jovem de 37 anos, talvez o mais novo da competição, chegou a ser personagem de matéria do jornal Marca, da Espanha, por conta de suas características e de conceitos semelhantes aos do catalão, hoje no Manchester City.

O treinador tem um ritual característico antes das partidas.Entra no campo antes de toda a equipe. Nesta quinta, recebeu (muitos) aplausos e acenou para o público presente. Na sequência, se alinhou na beira do campo, se benzeu e pisou no gramado. Logo em seguida, sentou sozinho no banco de reservas dos donos da casa. De Guardiola, só mostrou a fama.

DISCUSSÃO

Os primeiros minutos foram complicados para o Grêmio. O Zamora pressionou, encontrou espaços pelo lado esquerdo defensivo, especialmente, e teve chances de abrir o placar dentro da área de Marcelo Grohe. Após uma das oportunidades, saiu uma finalização torta por cima do gol - aliás, como foi praxe dos venezuelanos.

Com a sequência de "cochilos", Marcelo Grohe, Jailson, Bolaños e Michel se envolveram em uma discussão à distância, todos gesticulando. A parada técnica, aliás, serviu para arrefecer os ânimos.

NA CACUNDA DE LÉO

O Grêmio já havia suportado a pressão inicial e controlava o jogo, salvo alguns sustos. Só faltava o gol, que veio na base do talento e da experiência, já aos 45 do primeiro tempo. De pé em pé, Luan acionou Pedro Rocha na entrada da área. E o camisa 9 "pifou" Léo Moura. Dentro da área, o "velhinho" de 38 anos girou como um típico centroavante para emendar um chute forte, sem chances para Salazar.

RENATO ENFURECIDO

A vitória por 2 a 0, nos minutos finais, estava praticamente sacramentada. Mesmo assim, o clime de sobrança foi até o soar do apito. O Tricolor cavou um escanteio em uma das tentativas de finalização de Barrios que foi bloqueada. Everton se dirigiu para cobrar. À frente do banco de reservas, Renato berrou com Ramiro para se aproximar. O volante obedeceu, mas o atacante cruzou rasteiro para a área. E o treinador ficou enfurecido. Aplicou uma bronca daquelas no garoto por não segurar a jogada e valorizar a bola.

SIM, É LIBERTADORES!

Quando um "perro" adentrou o campo, a torcida comemorou como se o Zamora anotara os gols que perdeu no início do duelo. O cãozinho driblou o auxiliar, o delegado da partida e ganhou carinho do bandeirinha. Até que, voluntariamente, deixou o campo rumo a pista atlética. Foi uma atração à parte.

PÉ DIREITO

No final, muita vibração entre o grupo gremista. Afinal, os três pontos na conta – ainda mais fora de casa – servem muito de estímulo para uma classificação com até certa tranquilidade.

TIETAGEM A BARRIOS

Após o jogo, o centroavante Lucas Barrios, nome de expressão na América do Sul, foi tietado ao apito final. Ainda na pista atlética, tirou fotos com jornalistas e gandulas do Zamora. O seu sucesso na Europa e na América do Sul segue inalterado.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte