Publicada em 10/03/2017, às 11:09

Espírito de Libertadores e jogo bonito: Tricolor vai confiante ao Choque-Rei

Rodrigo Caio exalta o estilo do São Paulo de Rogério Ceni, pede concentração para evitar força do Palmeiras nas bolas paradas e pede para time não deixar o embalo cair

Rodrigo Caio ainda não sabe quem será seu parceiro de zaga contra o Palmeiras (Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)

Rodrigo Caio, no fim de 2016, não hesitou em dizer que faltara comprometimento ao elenco do São Paulo ao longo da temporada. Cria de Cotia e torcedor do clube, o zagueiro agora troca o insatisfação pelo orgulho. Vê os companheiros com espírito de Libertadores e o estilo de jogo de Rogério Ceni como empolgante para a torcida. E, aliando essas duas características, espera vencer o Palmeiras às 16h deste sábado, no Allianz Parque.

- Temos um estilo agressivo de jogar e não vamos mudar porque é um clássico. Fizemos contra o Santos (3 a 1) e também podemos fazer contra o Palmeiras. E vamos trabalhar para que venha uma vitória. Hoje falo que nosso comprometimento mudou muito, não só pelas vitórias. O comportamento é de encarar os jogos como finais. E viemos de uma preparação muito boa que nos deixou com perspectivas melhores. A pegada de Libertadores do ano passado voltou. A cara da equipe é totalmente diferente, a gente está feliz com isso e a torcida também, tanto é que comparece e tem gosto de nos ver jogar - disse.

O Choque-Rei de sábado é válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista. O Tricolor é líder do Grupo B com 14 pontos, tem a classificação nas mãos e não perde há nove partidas. Em 2017, o time sofreu apenas uma derrota, na primeira rodada do Estadual, para o Osasco Audax. Um ritmo que deixa os jogadores animados, mas que é colocado em risco por um clássico.

Leia Mais
- São Paulo x Corinthians: prováveis times, desfalques, onde ver e palpites
- Intocável no Paulistão, Luiz Araújo encontra sua 1ª vítima no profissional
- Lyanco se despede do São Paulo e diz que Ceni tentou adiar saída ao Torino
- São Paulo pode ter voltas de Rodrigo Caio, Maicon e Cícero no Majestoso
- Leia mais notícias sobre São Paulo em www.futnet.com.br/saopaulo

- Temos essa consciência. E quando entramos em um, sempre pensamos em vencer. As vitórias nos dão confiança para seguir com um plano de jogo bem feito, com cada um sabendo o que fazer dentro de campo. A qualidade deles exige cuidado, concentração e foco, como temos feito em todos os jogos. Isso é o que pode fazer a diferença para estarmos em um dia feliz. Precisamos manter nossa confiança. Nada pode atrapalhar nossa caminhada - projetou, antes de destacar mais uma vez a força do São Paulo:

- Os times paulistas se reforçaram muito bem, têm excelentes jogadores, mas fico mais feliz com a forma que minha equipe vem jogando, de forma agressiva, com domínio e controle. Temos muita confiança no trabalho do Rogério e estamos desempenhando bem no campo. Estamos preparados para jogar contra qualquer equipe. Temos que respeitar o campeão do ano passado, mas entramos com força e confiante grandes para vencer qualquer time.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Rodrigo Caio:

Como encarar Borja, que na Libertadores fez quatro gols em dois jogos contra o São Paulo pelo Atlético Nacional (COL)?
Enfrentei ele também na Olimpíada e agora de novo no amistoso (da Seleção Brasileira) com a Colômbia. E conheço muito bem a forma que ele joga, tem muita qualidade. Teremos muita atenção com ele, assim como eles terão com o Pratto. Estamos preparados para tentar anular o Borja da melhor forma.

O estilo do São Paulo é único no Brasil atualmente?
Eu assisto muitos jogos, principalmente do futebol brasileiro, e é difícil ver um time que ataque bastante, que sempre quer a bola, toca e procura sempre o gol. Os jogos são mais amarrados, por uma bola na área, uma dividida. Então fico feliz por isso, que o trabalho da pré-temporada está aparecendo em campo. É uma satisfação para nós e para o treinador. Fazemos o trabalho para ganhar convencendo, que é o que o Rogério pede. Temos que merecer ganhar.

É um jogo para mostrar que a defesa está mais segura?
É um jogo para a gente mostrar a força do time. Quando fazemos os gols, começa lá de trás, porque temos tranquilidade de sair tocando e construindo a jogada. Quando não tomamos, é porque começa lá na frente, com os atacantes marcando até chegar ao goleiro. Cometemos falhas individuais e por isso conversamos bastante um com o outro para corrigir isso. Amanhã vamos entrar mais concentrados para evitar isso, mas se levarmos um gol temos a confiança de que temos força para fazer mais. Isso não tira nossa paciência. O importante é propor o jogo para tentar vencer.

Como está o processo de renovação?
Nenhuma novidade, ainda está tudo sendo conversado pelo meu empresário e o São Paulo. No momento o pensamento é só no clássico.

Fonte: Lancenet
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - São Paulo