Publicada em 08/03/2017, às 09:34

Amor antigo, dor recente: Fla começa caminhada por nova história na Liberta

Invicto em 2017, Rubro-Negro estreia no torneio contra o San Lorenzo, no Maracanã. Com aproveitamento de apenas 52% desde 2000, missão é afastar fantasmas

Zico e a Libertadores: 1981 foi o ano em que a América e o mundo foram do Flamengo (Foto: Conmebol / Divulgação)

Uma nova história. Essa tem sido a tônica do discurso no Flamengo para a estreia na Libertadores de 2017 - a primeira que o clube disputa desde a eliminação na primeira fase em 2014. De volta ao torneio mais importante do continente, o Rubro-Negro conta com novos personagens - cinco deles campeões de outras edições - para afastar de vez fantasmas recentes. As campanhas no século 21 não remetem ao histórico de Zico, Júnior e companhia, responsáveis pelo único título do time na Libertadores, em 1981.

O aproveitamento em 46 jogos das últimas seis participações é de apenas 52%.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Nesta quarta-feira, o Flamengo de Zé Ricardo recebe o San Lorenzo, da Argentina, no Maracanã, às 21h45 (de Brasília). Pelo Grupo 4, o mesmo do Rubro-Negro, o Atlético-PR cedeu o empate para a Universidad Católica após abrir 2 a 0, nessa terça-feira, em Curitiba.

- Acredito que estamos começando uma nova história. O que passamos para eles é a dificuldade da competição. Mesmo num grupo muito difícil, temos de ter equilíbrio, fazer o nosso resultado, nos impor e sermos inteligentes - pediu Zé Ricardo.

Fase de grupos: três vezes pedra no sapato





Desde 2002, foram três eliminações ainda na fase de grupos. Foi assim nas duas últimas edições em que esteve na competição. Em 2014, o Flamengo de Jayme de Almeida chegou ao torneio como campeão da Copa do Brasil do ano anterior, mas não conseguiu avançar em uma chave que, inicialmente, não parecia complicada: León, Bolívar e Emelec.

Dois anos antes, roteiro parecido. Antes da fase de grupos, o Flamengo de Vanderlei Luxemburgo passou pela pré-Libertadores diante do Real Potosí, da Bolívia. Na fase de grupos, no entanto, tropeçou dentro e fora de casa e não conseguiu avançar na chave com Emelec, Lanús e Olimpia.

Já em 2002, o Flamengo foi o último em um grupo que tinha Olimpia, Universidad Católica e Once Caldas, com apenas uma vitória.

Entre 2007 e 2010, o Rubro-Negro participou outras três vezes da Libertadores e avançou até o mata-mata. Mas, novamente, decepcionou.

Em 2007, o time foi credenciado pelo título da Copa do Brasil. Apesar da boa campanha na fase de grupos, foi eliminado pelo Defensor do Uruguai nas oitavas de final. Perdeu por 3 a 0 na casa adversário, e ganhou por 2 a 0 no Maracanã.

América do México: o maior trauma

No ano seguinte, talvez a queda mais dolorosa: América do México, também nas oitavas de final. O Flamengo avançou na fase de grupo sem sustos e bateu o adversário, por 4 a 2, na Cidade do México. A derrota inesperada no Maracanã por 3 a 0, na semana seguinte, veio dias depois do bicampeonato carioca sobre o Botafogo. A partida marcava a despedida do técnico Joel Santana, que deixava o Brasil para comandar a seleção da África do Sul.

Império do Amor pagou caro por derrota no Rio

Na Libertadores 2010, o Flamengo chegava como campeão brasileiro e tinha na frente o ataque formado por Adriano e Vágner Love. Passou da fase de grupos no sufoco, mas ganhou moral ao eliminar o Corinthians de Ronaldo nas oitavas - 1 a 0 no Rio e 2 a 1 em São Paulo. Nas quartas de final, por sua vez, acabou perdendo a vaga para o Universidad de Chile. Apesar de vencer o jogo de volta no Chile por 2 a 1, pagou a conta pelo revés de 3 a 2 sofrido em casa.

Virando a página: esforço pelo Maraca e um novo modelo de Liberta:

Olhando adiante, o Flamengo espera um capítulo diferente nesta temporada. A última derrota em jogos oficiais foi em 16 de outubro, quando perdeu para o Internacional, no Beira Rio. No Campeonato Carioca e na Primeira Liga, segue invicto. Domingo, perdeu a Taça Guanabara nos pênaltis para o Fluminense após empate por 3 a 3 no tempo normal.

A diretoria rubro-negra não mediu esforços para viabilizar sua estreia no Maracanã. Investiu alto e colocou uma força-tarefa para deixar o estádio pronto para esta quarta-feira. Ainda não sabe se conseguirá jogar todo o torneio no palco, já que o acordo é pontual.

A Libertadores de 2017 será disputada, pela primeira vez, ao longo de toda a temporada. Termina apenas no fim de novembro. Outra novidade é que os resultados na fase de grupos não definem mais o chaveamento das oitavas: tudo será definido através de sorteio.

FLAMENGO X SAN LORENZO

Data: quarta-feira, às 21h45 (de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Flamengo: Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Romulo, Willian Arão e Diego; Mancuello, Everton e Guerrero.
San Lorenzo: Tórrico, Diaz, Angeleri, Caruzzo e Montoya, Mussis, Ortigoza, Cerutti, Belluschi, Botta e Blandi.
Arbitragem: Andrés Cunha, auxiliado por Maurício Espinosa e Miguel Nievas, todos do Uruguai.
Transmissão: TV Globo para RJ, SC, PR (Curitiba e Foz do Iguaçu), MG (Juiz de Fora, Uberlândia, Uberaba e Ituiutaba), ES, GO, TO, MS, MT, BA, SE, AL, PB, RN, CE, PI, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Galvão Bueno, Junior e Arnaldo Cezar Coelho)

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Flamengo