Publicada em 07/03/2017, às 20:55

De Bolaños a Geromel: Grêmio revive drama com lesões após Gre-Nal

Um ano após lesão polêmica do equatoriano, Tricolor volta a sofrer com baixas do clássico; Geromel tem fratura e permacece ao menos duas semanas em recuperação

Geromel caído após a fratura no Gre-Nal (Foto: Reprodução/RBS TV)

A rivalidade centenária comprova: o desfecho de cada Gre-Nal costuma causar desdobramentos profundos em Grêmio e Inter para a sequência da temporada. No caso do Tricolor, em especial, os reflexos têm sido mais severos do que a crise que se instaura diante de um revés e se materializam em desfalques de peso. Ao menos, nos clássicos da primeira fase do Gauchão. Após perder Miller Bolaños em 2016, os gremistas voltam a contabilizar uma baixa dura, agora na equipe de Renato Gaúcho: Pedro Geromel.

Os dois casos, inclusive, partilham de semelhanças, em uma coincidência ingrata ao Grêmio. Tanto o equatoriano quanto o defensor sofreram fraturas após cotoveladas dos rivais logo nos primeiros minutos de clássico. E mesmo com a gravidade dos problemas, ambos permaneceram em campo por mais tempo – Miller saiu no intervalo, e Geromel suportou os 90 minutos do clássico. Os dois lances foram ignorados pela arbitragem.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



A fratura de Geromel ocorreu em lance com Brenner, aos 14 minutos da primeira etapa. Após uma disputa de bola aérea, o centroavante acertou o zagueiro na altura da costela, que acabou fraturada. Nesta terça-feira à tarde, o atacante pediu desculpas e disse não ter tido intenção de atingir o rival.

– Fui para me proteger. É complicado saber que um companheiro de profissão se machucou. Não houve maldade, lance de cotovelaço. Subimos com o braço aberto. O dele pegou em mim e o meu pegou nele – disse o jogador.

A lesão de Bolaños, porém, foi a que causou maior repercussão, até por ter sido mais impactante. Contratado com grande investimento financeiro, graças ao investidor Celso Rigo, o gringo era a principal aposta do clube para a Libertadores do ano passado... Mas virou preocupação logo em seu segundo compromisso. Após estrear com gol contra seu ex-clube, a LDU, o equatoriano foi acertado por uma cotovelada de William logo aos 3 minutos de jogo. Anderson Daronco sinalizou falta do gremista no colorado.





O resultado? Miller teve a mandíbula fraturada em duas partes e teve de passar por cirurgia, para logo em seguida integrar um processo de recuperação delicado, com alimentação pastosa e muita cautela. Foram 46 dias até voltar a campo, mas o gringo só recuperou, de fato, a forma física na reta final de 2016, para deslanchar em 2017, como principal jogador do Grêmio. A grave lesão acarretou em punição com gancho de seis jogos a William no Gauchão, além de ter desencadeado uma série de trocas de farpas entre dirigentes gremistas e colorados.

A coincidência de lesões após o clássico causa revolta nos gremistas – inclusive entre os dirigentes. Após a fratura, Geromel permanecerá ao menos duas semanas em recuperação. Ficará de fora da estreia na Libertadores, nesta quinta-feira, às 19h30, em Barinas, contra o Zamora, pelo Grupo 8 da competição. A tendência é de que Rafael Thyere seja o substituto.

– Sempre preocupa, no momento em que você tem um jogador que está jogando muito bem e sofre uma lesão na costela. É difícil. Você não tem tratamento. É só tempo. Dói até para você mexer, para espirrar. Não sabemos como ele vai se recuperar. Em termos de entrosamento, a gente perde bastante – destaca Renato.

Até a volta de Geromel, o Tricolor já se move no mercado em busca de um substituto. Bruno Rodrigo é o alvo da vez. O clube conduz as tratativas com velocidade para tentar garantir sua inscrição na Libertadores ainda nesta terça-feira.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Grêmio