Publicada em 06/03/2017, às 10:37

Marcos Júnior supera três erros de pênaltis pré-final para virar herói no Flu

Decisivo, atacante converteu a cobrança de pênalti que deu o título da Taça Guanabara ao Fluminense, mas no último treino desperdiçou três

Marcos Júnior exibe medalha de campeão da Taça Guanabara (Foto: Bruno Giufrida)

Confiança, pelo menos em disputa por pênaltis ou em qualquer esporte, é muito importante. Mas a preparação também conta muito. E se justamente no último treino antes de uma final você desperdiça três cobranças? Foi justamente o que aconteceu com Marcos Júnior, autor do gol (de pênalti) que deu ao Fluminense o título da Taça Guanabara no último domingo. O atacante, porém, não se abalou com os erros.

Foi assim: no último treinamento do Fluminense antes da final contra o Flamengo, sábado, no CT, Marcos Júnior perdeu três cobranças e ouviu, de Leomir de Souza, auxiliar do técnico Abel Braga, uma pequena dura:

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



- E se tiver pênalti amanhã (domingo), como vai fazer? - questionou Leomir.

O atacante, porém, não pensou muito para responder:

- Se tiver amanhã (domingo), eu faço. É diferente.



E fez! Quando a decisão da Taça Guanabara foi para os pênaltis, depois de um eletrizante 3 a 3 no tempo normal, Marcos Júnior pediu para Leomir para ser um dos cobradores. Coube ao destino (e aos erros de Rafael Vaz e Réver) dar ao atacante a chance de marcar justamente o gol do título.

- Eu estava reparando que o Muralha estava saindo muito antes, indo muito rápido na bola, então esperei até o último minuto - conta.

Quando entrou em campo, porém, Marcos Júnior, atacante com mais gols do elenco do Fluminense no ano passado (nove), tinha apenas a missão de ajudar a segurar a então vitória parcial por 3 a 2. O gol de falta de Guerrero, já perto do fim, jogou um balde de água fria na empolgação tricolor, admite o atacante.

- O Abel sempre me coloca para dar correria, marcar o lateral que estava subindo muito. Ele me pediu isso. Com certeza, o gol foi um balde de água fria. Mas acho que a equipe ficou tranquila. Ali não tinha mais como (correr atrás). Era preciso ter tranquilidade para decidir nos pênaltis - completou.

Curiosamente, Marcos Júnior nem está entre os principais cobradores de pênaltis do Fluminense - isso mostra que o pensamento de Abel Braga era realmente segurar a vitória. Normalmente, quem cobra as penalidades são Henrique Dourado, Sornoza, Douglas, Scarpa e Richarlison. Nenhum deles bateu.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte