Publicada em 05/03/2017, às 10:22

Abel x Zé Ricardo: Encontro de gerações no Fla-Flu deste domingo

Decisão no estádio Nilton Santos irá marcar o encontro do experiente técnico tricolor, contra o jovem rubro-negro, que ainda busca seu primeiro título na função

Fla-Flu vai marcar encontro de gerações (Nelson Perez/Gilvan de Souza)

O Fla-Flu de hoje vai marcar o encontro de técnicos de gerações diferentes. Zé Ricardo ainda não completou nem um ano comandando o time profissional do Flamengo, enquanto Abel já é um dos grandes nomes no mercado do futebol brasileiro há alguns anos.

Com dificuldades financeiras, o Fluminense pouco investiu em jogadores e Abel Braga se tornou o principal reforço do ano. Para 'resgatar a alma', como costuma dizer, o clube apostou no treinador que conhece bem o caminho dos títulos. E a primeira conquista profissional, ainda como jogador, veio justamente no Fluminense, pela Taça Guanabara de 1971. Curiosamente, mesmo ano de nascimento de Zé Ricardo, adversário na final.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



O comandante rubro-negro revelou que admira o trabalho do treinador tricolor e espera aprender bastante nessa final de Taça Guanabara. Na primeira decisão da sua carreira como técnico, Zé afirmou estar ansioso para cumprimentar Abel e lembrou da sua história no futebol carioca.

– Abel é um exemplo para jovens treinadores. Ansioso para cumprimentá-lo. Ele tem uma história especial no futebol, principalmente no Rio de Janeiro. É campeão mundial, super vencedor, espero que esta final seja mais uma oportunidade para aprender.

Abel também não poupou nos elogios ao treinador rubro-negro, que busca seu primeiro título da carreira, hoje no Nilton Santos.

— Não tem comparação. É um rapaz ambicioso, conhecedor, do nível muito alto, tanto que o Flamengo joga da forma que ele implantou, independente de jogar em casa, do adversário. É um coletivo muito forte, está muito encaixado.

Mesmo sendo novo na carreira de treinador, história de Zé Ricardo no Flamengo começou há quase 20 anos e treinador exalta orgulho de trabalhar pelo rubro-negro, reforçando o desejo de levantar a taça neste domingo, no Nilton Santos.

- Cheguei no clube em 1998. Passeis bons e maus momentos no clube, tive o retorno depois, mais um momento de alegria, estar aqui, viver o clube, chegamos oito horas da manhã porque a demanda é cada vez maior no futebol. Você aprende a respeitar o clube, que esteve ao meu lado. Tenho profundo respeito e orgulho de estar aqui, vou defender o clube com todas as minhas forças enquanto estiver aqui. Tomara que seja o primeiro título no domingo - disse o comandante rubro-negro.

Fonte: Lancenet
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Cruzeiro mostra interesse de renovar contrato com volante Hudson
- Alívio e tristeza: Dourado avalia fim da ameaça do Z4: 'Que fique de lição'
- Prass diz que terá primeira reunião sobre renovação nesta semana
- Sócios do Inter terão acesso gratuito em despedida da Série B no Beira-Rio

Últimas