Publicada em 02/03/2017, às 19:40

Liminar é mantida, e Fla-Flu da decisão da Taça GB terá torcida única tricolor

Finalistas não conseguem permissão para estádio Nilton Santos receber duas torcidas no domingo e vão recorrer. MP e Botafogo pressionaram por manutenção de liminar

Audiência decide por torcida única em Fla-Flu (Foto: Davi Barros)

O Fla-Flu que decide o título da Taça Guanabara, marcado para o próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Nilton Santos, contará apenas com a torcida tricolor. Em audiência realizada nesta quinta-feira no Fórum do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o juiz Guilherme Schilling, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos, manteve a liminar que determina torcida única em jogos no Estado do Rio de Janeiro. Como o Fluminense havia sido apontado como mandante em sorteio realizado na última quarta-feira na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), apenas os torcedores tricolores terão direito a assistir à final ao vivo no estádio.

A reunião desta quinta-feira contou com representantes dos quatro grandes clubes do Rio, do poder público e da polícia. Apesar da PM garantir condições para a realização do clássico com torcida dupla, o Ministério Público, com o argumento da situação da atual da segurança pública do estado, e os representantes do Botafogo, proprietário do estádio, pressionaram pela manutenção da liminar de torcida única. A decisão desagradou a Fla e Flu que, assim como a Ferj, prometem recorrer para que a decisão seja disputada com arquibancadas 50 a 50. São remotas as opções de adiamento do jogo e/ou alteração de local.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



De acordo com o Estatuto do Torcedor, as vendas de ingressos precisar começar com 72 horas de antecedência, ou seja, às 16h desta quinta. A princípio, serão vendidas entradas apenas para os setores Norte e Oeste, reservados para o Flu. Os dirigentes ainda esperam que a decisão seja revertida, por isso preferem não comercializar ainda os setores Sul e Leste, que seriam destinados aos Rubro-Negros, em caso de jogo com torcida mista. Diretor de competições da Ferj, Marcelo Vianna, disse que a federação e a polícia estudarão um modo de impedir que torcedores do Fla adquiram ingressos destinados à torcida tricolor. Cacá Cardoso, vice do Flu, argumentou que é impossível controlar esse tipo de coisa: "Só se quando a pessoa nascesse ela tivesse alguma coisa que a identificasse como tricolor, flamenguista".

Confira declarações de dirigentes e autoridades na saída da audiência:

Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo:
Flamengo, Fluminense e Federação apresentaram todos argumentos a favor da reconsideração, o Botafogo foi contra, pressionou por manter a decisão e assim foi definido. O MP também foi a favor de manter a decisão. Não estamos trabalhando com essa possibilidade ainda (jogo fora do RJ). Vamos aguardar o recurso. Vamos sentar com o Fluminense. Somos totalmente contrários a clássico com torcida única. Flamengo e Vasco transcorreu sem problema nenhum, com campanha e clima de paz nos estádios. Tinha muita esperança que a decisão fosse revertida.





Cacá Cardoso, vice-presidente do Fluminense:
O Fluminense, assim como seus coirmãos, é contra torcida única. Vai contra a beleza e história dos clássicos do Rio de Janeiro. Vamos tentar reverter esse quadro. Diante dos acontecimentos do fim de semana, tínhamos esperança que fosse revertida a liminar. Agora nossos advogados vão entrar com recurso para tentar reverter a liminar. Sabemos a questão do tempo, entraremos hoje e esperamos que saia uma decisão ainda hoje.

Marcelo Vianna, diretor de competições da Ferj:
Não existe a possibilidade de fazer essa partida em outra data, nem em outro lugar. Já é quinta-feira. Vamos lutar para reverter esse quadro. Esperamos que em outra esfera da justiça consigamos reverter essa decisão judicial. Essa situação é muito mais perigosa do que jogar com torcida pública. Existem duas variáveis a serem analisadas. A quantidade de seguidores e o momento do clube visitante. Como uma decisão vai deixar uma torcida que levar mais público ao estádio em casa? Isso é preocupante.

Nelson Mufarrej Filho, vice-presidente do Botafogo:
O Botafogo é a favor da torcida mista, mas não nessas condições. Tivemos um torcedor nosso alvejado com um espeto (na partida contra o Flamengo, pela 1ª fase). Não fosse a polícia municipal, o problema seria maior. Se colocar a cabeça no travesseiro vai lembrar que é uma decisão do MP. A exceção foi por jogar fora. A PM garantiu a segurança. Mas juiz, promotor, Botafogo... Para fazer esse jogo nessas condições, ainda há blocos...

Na quarta-feira, após reunião na Ferj que definiu que o jogo seria no estádio Nilton Santos, os presidentes de Flamengo e Fluminense deram a entender que poderiam tomar alguma medida, juntos, caso fosse decidido por torcida única no clássico. O diretor de competições da Ferj, Marcelo Vianna, garantiu que a partida seria realizada de qualquer jeito no domingo, no estádio escolhido.

Tudo porque o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio (TJD-RJ) havia emitido uma liminar determinando a realização da final no Nilton Santos, com o argumento de que o Maracanã ainda não estaria em condições de receber uma partida deste porte, e estabelecendo uma pena de pagamento de multa de R$ 300 mil pela Ferj em caso de descumprimento.

Na semifinal entre Flamengo e Vasco, disputada no último sábado, a liminar de torcida única havia sido suspensa excepcionalmente. No entanto, o jogo foi levado para o estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, porque a polícia do RJ não garantiu efetivo suficiente para a realização da partida no Engenhão em razão das festas de Carnaval.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Últimas