Publicada em 17/02/2017, às 09:16

Baixas tiram quase meio time e levam Renato a reformular ataque do Grêmio

Treinador tem Luan e Pedro Rocha como baixas prováveis contra o São José; Douglas, Edílson, Beto da Silva e Jael são ausências confirmadas neste domingo

Renato deve alterar estilo de jogo do ataque contra o São José (Foto: Eduardo Deconto/GloboEsporte.com)

Renato Gaúcho optou por conduzir os trabalhos táticos desta semana com privacidade no CT Luiz Carvalho. Não à toa. Distante dos holofotes e dos olhares da imprensa, o treinador se vê obrigado a testar opções e variações a sua equipe para suplantar a série de lesões que afeta o elenco. As baixas são capazes de deixar a base do penta da Copa do Brasil, tão valorizada neste início de ano, desfalcada por quase meio time para o duelo com o São José no próximo domingo.

Os problemas, inclusive, ressoam com mais força no sistema ofensivo e obrigam o comandante a alterar seu estilo de jogo para a partida. Douglas foi a primeira (e mais grave) ausência após romper os ligamentos do joelho esquerdo. Depois, Pedro Rocha (tendinite no pé esquerdo) e Luan (tendinite no joelho esquerdo) se juntaram ao camisa 10, assim como os reservas Beto da Silva e Jael – que poderiam ser opções contra o Zeca.

Ainda nesta semana, Edílson se manteve como desfalque, agora prolongado por 15 dias, devido a uma lesão muscular. A quinta baixa na equipe do Penta já é antiga e foi suprida, com Jailson na vaga de Walace, vendido ao Hamburgo.

Leia Mais
- Redução salarial, ambição e palavra: os bastidores do negócio por Barrios
- Michel se vê "pronto" para substituir Maicon em "alto nível" no Grêmio
- Grêmio segue à procura de zagueiro. Argentino do Santos foi oferecido
- Quem deve sair do time e como pode jogar o Grêmio com Barrios
- Leia mais notícias sobre Grêmio em www.futnet.com.br/gremio

Ao passo que Marcelo Grohe, Pedro Geromel, Kannemann, Marcelo Oliveira, Maicon e Ramiro estão à disposição, Renato se vê obrigado a testar alternativas de reposição em sua equipe, sempre com portões fechados no CT Luiz Carvalho. Diante do mistério sobre a formação, o GloboEsporte.com lista abaixo algumas opções que podem ser lançadas pelo comandante:

Ataque móvel

O Grêmio ainda aguarda a confirmação oficial de seus médicos, mas o departamento de futebol e a comissão técnica já trabalham com a ausência de Luan para este domingo. Sem o camisa 7, preservado de todos os treinos da semana, e o reserva Jael, o treinador terá de alterar a característica de sua referência no ataque. A tendência é de que a posição seja suprida por Everton, que até já executou a função no ano passado.

Contra o Passo Fundo no último domingo, o garoto atuou como extrema pela esquerda, na vaga de Pedro Rocha, outra ausência para o duelo com o São José. Caso seja adiantado à referência no ataque, Everton muda o jeito de jogar, por ser mais vertical e veloz do que Luan, que costuma sair mais da área para buscar o jogo e até armar as jogadas de ataque. Neste cenário, Fernandinho é o mais cotado para ser o substituto na trinca de meias.

– Se isso acontecer, lógico que a gente que chega um pouco mais ao fundo tem que olhar mais. Prestar mais atenção no movimento dos atacantes para fazer a bola chegar a eles. São jogadores mais velozes, não temos centroavantes de área no momento, até porque o Jael está machucado. Temos que ir à linha de fundo e levantar a cabeça para fazer o movimento – afirma Léo Moura.

Miller na referência

Outra possibilidade a ser lançada pelo treinador é adiantar Bolaños de sua posição preferencial, centralizado na meia, à referência no ataque. Neste cenário, Renato pode manter Everton como extrema pela esquerda, com duas alternativas para atuar na vaga que costuma ser de Douglas. Tanto Maxi Rodríguez quanto Léo Moura podem cumprir a função na armação da equipe. Caso o lateral seja deslocado à trinca de meias, o novato Leonardo ganha a posição pela direita.

– A posição que o Douglas joga, eu já joguei. Não tem mistério nenhum. No momento em que o Renato optar por mim, eu vou dar meu melhor, como dou quando eu jogo pela lateral – ressalta Léo Moura.

Vale ressaltar: Renato também pode suprir as ausências na equipe com alterações no esquema de jogo de sua equipe. O Tricolor pode atuar, por exemplo, no 4-4-2, sem a presença de um meia central, com Everton e Bolaños como dupla de ataque, assim como o 3-5-2, já utilizado pelo treinador em passagens anteriores, o 4-3-3 e o 4-1-4-1. Ainda assim, a tendência é que o comandante mantenha a formatação costumeira, até para agilizar a adaptação à mecânica de jogo sem Douglas, com Miller centralizado.

O Tricolor retoma os treinamentos, novamente com portões fechados na primeira parte, na manhã desta sexta-feira, no CT Luiz Carvalho. Depois, no sábado, tem uma última atividade. A equipe volta a campo no próximo domingo, quando encara o São José, na Arena, às 19h30, pela 4ª rodada do Campeonato Gaúcho.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Grêmio